quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

PRAÇA DA SAUDADE, Jornal A Critica


Jorge Eduardo Dantasda equipe de A CRÍTICA
As obras de reestruturação da praça 5 de Setembro, popularmente conhecida como praça da Saudade, devem começar em abril. O anúncio, feito ontem de manhã pelo titular da Secretaria Municipal de Obras (Semosbh), Paulo Farias, ocorreu logo após a assinatura de um convênio entre a Prefeitura de Manaus e a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), que vai financiar o empreendimento.
Os recursos, da ordem de R$ 2,3 milhões, são todos federais e a expectativa é que a obra esteja pronta até o fim do ano. A cerimônia, que ocorreu na sede da Suframa, contou com a presença de diversas autoridades - além do prefeito Serafim Corrêa (PSB) e da superintendente Flávia Grosso, estavam ali também o senador Jefferson Péres (PDT) e vários secretários municipais.De acordo com o plano de reestruturação exposto pelo secretário municipal de Desenvolvimento Urbano (Semdurb), Carlos Valente, a idéia é fazer com que a praça volte a ter o aspecto que tinha nos primeiros anos. Para isso, ela sofrerá uma reforma completa, que teve início com a demolição do antigo prédio da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), vai passar pela retirada do atual piso de concreto e de um redesenho das estruturas arquitetônicas daquele logradouro. Serão eliminados os banheiros públicos, o palco, as bancas de revistas, as banquinhas de lanche e os cursos d'água que ficam de frente para a Ferreira Pena. As estátuas do Homem Primitivo e do Homem Moderno, localizadas na mesma área, serão retiradas.Mantendo o padrãoValente contou ainda que serão plantadas cerca de 400 árvores na praça, além de 4 carramachões (árvore muito famosa pelo aspecto decorativo e pela sombra que gera). Ele explicou também que serão instalados 4 playgrounds para as crianças. O conjunto arquitetônico da nova praça da Saudade seguirá o estilo daquele já existente no Largo do São Sebastião. "Vamos realizar trabalho semelhante na praça do Congresso, por isso é importante manter um padrão entre as praças do Centro", explicou.
Postar um comentário