quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

ESCOLA DE SAMBA APARECIDA

ESCOLA DE SAMBA MOCIDADE INDEPENDENTE DE APARECIDAFicha TécnicaNome da Escola: Grêmio Recreativo Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida.Endereço: Rua Ramos Ferreira, S/Nº - Aparecida - CEP. 69.007.00.Títulos Adquiridos: 15.Intérprete Oficial de Samba Enredo: Carlinhos da Aparecida.Outros Intérpretes: Carlão da Mocidade, Valmir da Mocidade, Assis Almeida, Frank da Mocidade e Wilsinho.Nº de Componentes: cerca de 4000.Nº de Alas: 20.Nº de Componentes/Ala: variando entre 150 a 200.Nº de Componentes da Bateria: 300.Nº de Componentes da Ala das Baianas: 80.Nº de Componentes da Ala das Crianças: 40.Nº de Destaques: cerca de 100 destaques.Nº Carros Alegóricos: 04.Carnavalesco: Saulo Borges.1º Casal de Mestre Sala & Porta Bandeira: Júlio Borges (Dinho) e Ednelza Sahdo.2º Casal de Mestre Sala & Porta Bandeira: Marco Antônio Sahdo e Naruna Sahdo.Aderecistas: Otávio Muniz, John, Dorico e Ney Gomes.Figurinista: Otávio Muniz.Presidente: Carlinhos da Aparecida.Vice-Presidente: Luís Pacheco.Secretário Geral: Albertino Carvalho (Beto)Diretor Financeiro: Rita de Cássia.Diretor Social: Helena.Diretor de Patrimônio: Kleber Sahdo.Assessores da Presidência: Antônio Esperança, Élson Athan, Edinaldo Athan e Otílo Carioca.Diretor de Carnaval: Hamilton César Pacheco Bandeira.Diretor de Harmonia e Evolução: Berg.Diretor de Bateria: José Carlos Campos e Peri.Diretor de Imprensa e Relações Públicas: Assis Almeida, Jorginho Devagar, Waldemar Pereira, Costinha, Ari Mota, Luís Alencar.Histórico da EscolaEra 1980, em Manaus, no bairro de Educandos, havia uma Escola de Samba chamada "Em Cima da Hora". O nome da ala era "Alô! Alô! Aparecida!". E era lá que desfilava Zezinho Pacheco, um jovem excepcional, que se tornou responsável pelo amor verde - branco que ocupa, hoje, os milhares de corações amazonenses, a Mocidade Independente de Aparecida.No dia do desfile de carnaval de 1980, o jovem Zezinho foi impedido, pelos dirigentes da escola de desfilar. Naquele tempo cada brincante confeccionava sua fantasia seguindo o figurino da escola, a fantasia do Zezinho era a mesma do ano anterior. Por não levarem em conta a excepcionalidade de Zezinho, que foi argumentada, os brincates da ala resolveram não mais desfilar na Em Cima da Hora.No dia 15 de Março de 1980, sob o signo da raça e da vitória, surgiu o Gremio Recreativo Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida. Foi lá, no bairro de Aparecida, de ruas estreitas, na Carolina das Neves, especificamente, que o samba foi morar. O Boteco do Armindo, se fez, berço, e lá, os senhores Arthurzinho, César Gato, César Bandeira, Chico da Mocidade, Delgado, Eudimar Bandeira o "Nem", Mestre Jô, João André, Jorginho Devagar, o próprio Armindo, foram tantas as mãos, embalavam a criança. No "batizado", estavam presentes autoridades do mundo do samba, como o Sr. Batista, presidente da escola de samba Em Cima da Hora, que acabou por ser madrinha da Aparecida, e o Sr. Nelson de Medeiros, na época, Presidente da Escola de Samba Vitória Régia. César Bandeira foi o primeiro presidente, referendado, em plebiscito, pelos moradores do bairro. A madrinha da Escola é D. Lígia Pacheco, a mãe do jovem Zezinho'.Em seus vinte anos incompleto, a Mocidade Independente de Aparecida disputou dezesseis títulos, sagrando-se onze vezes campeã. O primeiro desfile, com o enredo "Santos Dumont, o Pai da Aviação", foi título na certa. Vale ressaltar que foi a primeira campeão do sambódromo, em 1994, a única Pentacampeã e teve a ousadia de desfilar em 1989, como "hours-concours".
PORTAL AMAZONIA.
Postar um comentário