sábado, 10 de fevereiro de 2007

CURIOSIDADES DO SAMBA E CARNAVAL DE MANAUS




Salles Gato

 Infelizmente não há mais registro em fitas cassetes, dos sambas de Manaus dos anos 70 e até 1984.
O primeiro LP que foi gravado com todas as Escolas do grupo principal foi em 1986 no projeto CANTE O NOSSO CARNAVAL que durou até 1989.
Até 1991 os sambas de enredo de Manaus eram gravados no Rio de Janeiro por puxadores (intérpretes )cariocas. Alguns tornaram-se, à época, a "cara" das agremiações, senão vejamos: Vitória Régia (Dominguinhos do Estácio), Sem Compromisso (Aroldo Melodia), Reino Unido e Andanças de Ciganos (Carlinhos de Pilares), Aparecida (Sobrinho, da Unidos da Tijuca), Ipixuna (kandanga da Tradição). É claro, que houve revezamentos entre estes intérpretes durante algum tempo, mas os aqui citados , marcaram muito uma época (anos 80).
Comentário de FERNANDO PAMPLONA, trabalhando pela REDE MANCHETE em 1994, sobre a Vitória Régia: "...A bateria é forte, mas um pouco acelerada...Mas está faltando negro na escola (O ENREDO FALAVA SOBRE A PRAÇA 14 e OS NEGROS BANTUS)...vejo muito é mestiço e caboclo....
Durante muito tempo as escolas de samba de Manaus não traduziam bem seus enredos nas fantasias e alegorias, ou seja, o que importava era volume e brilho e não a famosa ÓPERA DE RUA onde se canta e representa uma história.
Em 1993 a TV BAND de São Paulo mandou alguns "flashes" do Desfile do Grupo Especial para todo o Brasil. Em 1994 foi a vez da Rede Manchete e também da própria TV BANDEIRANTES transmitirem na íntegra o desfile.
A Balaku Blaku e a Andanças de Ciganos são as Escolas de Samba que mais "deram" rainhas para o Carnaval de Manaus. Exemplo dos últimos anos: 1998 e 1999 - Andanças de Ciganos. 2002 e 2003 - Balaku Blaku.
O compositor Paulo Onça, amazonense, conseguiu a façanha de ganhar um samba de enredo pelo Salgueiro em 1998 com o enredo sobre os Bois de Parintíns (em parceira com mestre Louro da bateria). Também compôs samba famoso para Jorge Aragão - "Feitio de paixão" em meados dos anos 80.
Edmundo Soldado, que na verdade é sub- tenente da Polícia Militar do Amazonas é compositor da Vitória Régia e também já foi Intérprete Oficial da Escola durante vários anos. É recordista de composições de sambas de enredo das Escolas do Grupo Especial, Grupos de Acesso e Blocos (29 sambas), sendo 12 pela Vitória Régia. Outros sambistas que estão perto de Edmundo em número de composições são Walmir da Mocidade,Marinho Saúba e Agnaldo do Samba, todos oscilando entre 10 e 18 sambas.
Agnaldo do Samba, intérprete dos mais renomados no samba de Manaus começou sua carreira na bateria do Bloco Sem Compromisso em 1980 de onde saiu em 1986 para ir cantar nas seguintes agremiações: Bloco de Enredo Arrastão Assuano (campeão do Grupo B de 1986), Guerreiros do Vinho e Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida. Em 1990, retornou à Sem Compromisso, de onde saiu em 1992 e retornou em 1993. Cantou pelo Coroado em 1998 e saiu novamente da Sem Compromisso, passou pela Unidos do Alvorada em 1999, voltando em 2000 onde está até hoje. Todos os anos, desde 1999 vai à cidade de Óbidos cantar em uma agremiação local.
O Bloco MOCIDADE que desfilou até os aos 70 na Av. Eduardo Ribeiro foi um ícone no Carnaval de Manaus durante mais de 40 anos! Era formado por intelectuais, jogadores de futebol e comerciantes de Manaus. Todos iam em cima de um caminhão, que saía lá do Bairro do Educandos, de uma serraria até ao Centro de Manaus, na Av. Eduardo Ribeiro. Flaviano Limongi, que ainda é um desportista local desfilava no MOCIDADE.
Até o Carnaval de 2004 a Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida é a que detém o maior número de títulos no carnaval de Manaus - 15, seguida pela Vitória Régia - 9 e Reino Unido da Liberdade - 6.
A Antiga Escola de Samba MISTA da Praça 14 foi fundada em 1946 e ganhou os carnavais de 1947,48,49,50,51,52,53,54,55,56,57,58,59,1960 e 1961. Ou seja, todos em que disputou - 15 títulos. Suas cores eram: Preto, Amarelo e Vermelho.
A Escola de Samba a VOZ da Liberdade também contemporânea da MISTA não ganhou carnaval na época. Ela foi fundada em 1948 mas desapareceu precocemente.
Somente em 1970 é que surgiu outra Escola de Samba em MANAUS: A G.R.E.S. Unidos da Selva que foi campeã em 1971/72/75 e 1976 (seu último desfile). Jaílton Sodré,atual cromometrista da AGEESMA foi um dos seus fundadores. Sua cores eram o verde e o Branco.
Esta Escola era formada pelos militares do Exército do CIGS do bairro de São Jorge, Zona Oeste de MANAUS.
No Rio de Janeiro, nos últimos anos o samba de enredo que teve o maior número de compositores foi os da Mangueira em 1993 (10 autores) e o do Grande Rio (1993) (10 autores). Em Manaus esse recorde quase foi igualado, pois o samba da Vitória Régia em 2003 teve nada mais, nada menos que 9 compositores, fruto da junção de três sambas campeões na Quadra, tipo (2 + 3+ 5 compositores).
O Sambódromo de Manaus é o maior do gênero no Brasil. nem o Anhembí em São Paulo, nem a Sapucaí no Rio chegam próximos em números gerais. O Centro de Convenções de Manaus tem capacidade para mais de 100 mil pessoas.
Este Colosso de concreto foi pré-inaugurado por 3 vezes. Explica-se: em 1991 ele já estava pronto (a ferradura), porém não houve desfile das escolas nesse ano, apenas bandas de frevo fizeram a festa lá dentro. EM 1992 mais uma vez pré-inaugurado ainda somente com a ferradura. Em 1993 construíram-se mais dois lances de arquibancada e somente em 1994 que terminaram os outros 4 lances, totalizando 6.
Em 1986 a G.R.E.S. Andanças de Ciganos levou à Avenida Djalma Batista (Palco do Carnaval à época) a primeira mulher inteiramente nua para o Desfile em Manaus. Ela vinha sendo destaque dentro da boca de uma serpente.
Em 1983 a G.R.E.S. Sem Compromisso pela primeira vez gravava um Disco com um samba de Enredo, sendo pioneira em Manaus nesse sentido, gravando um DISCO com selo proprio, ja que anos antes, a Em Cima da Hora tambem gravava disco,porém com outros sambas, ou seja, uma Coletânea (1976). Mesmo assim, pode-se considerar a Em Cima da Hora como a pioneira, porém, junto à outros sambas.
Até 1979 os Desfiles de Blocos de sujo, Blocos de Embalo, Blocos de Enredo, Cordões, Escolas de Samba, Batucadas, etc... ocorriam na Av. Eduardo Ribeiro, no Centro antigo de Manaus. De 1980 a 1990 os Desfiles ocorreram na Av. Djalma Batista, na Zona Centro-Sul e a partir de 1992, no Centro de Convenções (SAMBÓDROMO) na Zona Centro-Oeste de MANAUS.
Sem Compromisso, Mocidade Dependente do beco Ipixuna (agora IPIXUNA), Andanças de Ciganos, Reino Unido, etc.. começaram suas vidas carnavalescas como Blocos. A Balaku Blaku, começou como batucada em 1977, desbancando as favoritas Acadêmicos do Rio Negro e Batucada Baré.
A Escola de Samba EM CIMA DA HORA, era do Bairro de Educandos (Zona sudeste de Manaus) e foi extinta em 1983, em seus primeiros momentos, foi fundada por militares da Marinha brasileira. Ganhou dois carnavais em Manaus, sendo o último junto com a então estreante APARECIDA. Nota: A Em cima da hora tinha em suas cores o azul e o branco e foi a madrinha da Aparecida.
Jorginho Devagar da Aparecida conheceu grande parte do mundo em suas viagens sempre divulgando o samba brasileiro e hoje possui autênticos documentos da fundacao da Aparecida'que se deu em março de 1980.
A Primeira Escola de Samba de Manaus nessa nova era, foi a UNIDOS DA SELVA, fundada em 1970, que congregava em seu bojo, militares do CIGS (Centro de Instrução de Guerra na Selva), grande parte desses sambistas eram cariocas. Esta Escola acabou em 1976, surgindo aí uma "continuação" sua - A Unidos de Sao Jorge, que desfilou apenas em 1983. Em 2003, em abril, foi fundada a GRES Dragões do Império, do bairro de São Jorge, que tem tudo para continuar a história dos sambistas do bairro. Esta escola desfilou no dia 22 de fevereiro de 2004 no Sambódromo de Manaus, sem concorrer, fechando o desfile do ano.
As primeiras Escolas de Samba de Manaus, que podem ser consideradas Escolas de Samba de padrão mais atual, fora: ESCOLA MISTA DA PRAÇA 14 - fundada em 1946 e que foi extinta em 1961 e a escola A VOZ DA LIBERDADE, fundada em 1948 e extinta em 1958.
Algumas Escolas de Samba de MANAUS já extintas ou com atividades paralizadas:
Unidos da Selva (desfilou até 1976)
Moto na Onda (até 1977)Em cima da Hora (extinta em 1983)
Unidos da Raiz (extinta em 1983), voltou na forma de BLOCO em 2001
UIRAPURÚ (extinta em 1982)
Barelândia (extinta em 1992)
Unidos de São Jorge (extinta em 1983)
Acadêmicos do Rio Negro (extinta em 1983- desfilou como escola apenas em 1983, antes era uma batucada)
Guerreiros do Vinho (extinta em 1992)
Estação 1a. do Boulevard (extinta em 1992)
Acadêmicos de Petrópolis (extinta em 1992)
Jovens Livres na Folia (quando ia virar escola em 1991, não houve desfile naquele ano).
Até 1985 a grande maioria das Escolas e Blocos usavam roldanas nos seus carros alegóricos, em vez dos pneumáticos. Que só começou a ser usado em 1986 pela Sem Compromisso - campeã naquele ano.
Em 1981 a Vitória Régia levou para a Djalma Batista, nada mais nada menos que 15 carros alegóricos. Todos na faixa de 3 x 4 m. Todos de madeira.
até 1981 as Baterias das Escolas de Samba eram compostas por no máximo 100 ritmistas. A Em Cima da Hora em 1981 desfilou na Djalma Batista com 70 na bateria.
E as Escolas de samba compunham-se de no maximo 500 " brincantes"
Ednelza Sahado, a "imortal" Porta-bandeira da Aparecida, já foi no seu início carnavalesco, pertecente à escola de samba Vitória Régia. Ednelza foi homenageada em 2003 com a inauguração dopalco de eventos da Aparecida, chamado: "Palco Ednelza Sahado".
Quem é Vitória Régia não e de maneira alguma Aparecida, pois as disputas entre as Escolas já foram ferrenhas, tanto na Avenida quanto nas ruas e nas apurações (vide apuração de 1983 ocorrida no Ginásio Renê Monteiro e no Sambódromo em 1994, quando ocorreram verdadeiras batalhas entre as torcidas
A disputa entre as duas Escolas só amainou com a subida em importância da REINO UNIDO nas disputas, a partir de 1988.
Segundo Paulo Santos (sambista veterano de Manaus), quando ele era intéprete da Barelândia, nos anos 80, não cantava com cavaco acompanhando, era muito difícil e sempre havia espaço para o desgaste precoce das cordas vocais
Genésio e o grupo " Amazon Music Show" , grupo de danças, foi ao México, no Estado de Vera Cruz em fevereiro de 2000, acompanhado de "Mulatas" amazonenses. intérpretes e cavaquinistas.
Em 1984 a G.R.E.S. Sem Compromisso não desfilou em Manaus, mas sim, em Boa Vista (RR), perdendo a chance de ser campeã em Manaus naquele ano, visto que não houve julgamento e todas as Escolas que desfilaram ganharam o titulo.
A Quadra de Escola de Samba mais reclusada de Manaus é a da IPIXUNA, situada no beco Ipixuna, próximo do Centro Antigo de Manaus, porém escondida por mais de 100 degraus da escadaria da União Esportiva Portuguesa e pelos baixios do Beco Betel. Uma Quadra bem escondida.
A Primos da Ilha, Escola do Grupo 1 , fundada em 1990, foi idealizada por Nélson Medeiros, da família Medeiros, uma das famílias fundadoras da Vitória Régia e também da antiga Escola Mista em 1946.
A Vitória Régia foi fundada na casa da "tia Lindoca", em 01/12/1975. Tia Lindoca faleceu em 1993. Os ensaios da Escola lá eram realizados,às vezes na própria Praça 14, em 1988, a Escola ganhou sua Quadra em local privilegiado, no seio do bairro, bem na lateral da Praça 14, ao lado da Igreja católica de N.Sa. de Fátima.
A partir de 1986 com a inauguração da Ponte Fábio Lucena, interligando o Bairro da Aparecida ao São Raimundo, a Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida tornou-se mais popular, saíndo um pouco da reclusão do Centro da Cidade e abrindo as portas para outras comunidades, até então geograficamente próximas, porém longínquas por causa do difícil acesso.
A Sem Compromisso é a Escola de Samba que mais mudou de Local para seus Ensaios. vejamos: Rua Comendador Clementino - Centro, Rua Libertador - Beco do Macedo, Rua Japurá, altos da Praça 14, Quadra esportiva do Colégio Ribeiro da Cunha (centro) (1993-1994), Garotinho (Av. Constantino Nery)( 1995), Olímpico Clube,(1996-1997) Vila Mamão ( agosto de 1997), Lírio do Vale (2 locais)( 1998-2000) e Vila da Prata (a partir de 2001)
IPUJUCAN GOMES é o presidente recordista à frente de uma Escola de Samba - IPIXUNA, do Primeiro Grupo desde 1986
A Escola de Samba Andanças de ciganos deixou de desfilar em Manaus de 1992 a 1997, voltou em 1998.
O sambista Manteiga, conhecido batuqueiro, passista e sambista emm geral já desfilou por mais de 10 agremiações em Manaus - obs: Ensaiando, participando ativamente nas escolas.
Tia Lurdinha , 72 anos foi ' a mais tradicional baiana de Manaus. Desfilou na Escola Mista da Praca 14 nos anos 40 e 50 e na Vitoria Regia desde 1976. para quem a visitou, comparecendo em frente da Quadra da Vitoria Regia, onde esta verdadeira "Rainha" e "Cidadã do Samba" vendia seus maravilhosos croquetes de camarão , quitutes, tacacá e outros. Infelizmente faleceu em meados de julho de 2003 e a sua verde e rosa a homenageou, junto a outro baluarte da 14 - o Advogado Nestor Nascimento. Em 2004 a Vitória Régia foi campeã junto à Aparecida.
Dona Zuzu, com seus sessenta e poucos anos é outra maravilhosa baiana da Sem Compromisso. Desfilou na Antiga escola/Rancho de samba A VOZ DA LIBERDADE do bairro do Pico da Águas nos anos 50 e está na Escola dos Tucanos desde 1980.
Em 1982 a Mocidade de Aparecida inovou na feitura dos carros alegóricos em Manaus ao colocar telhas de aluminio num dos seus carros e em vários tripés, dando um efeito diferente do queu era até então visto.
O grande CENTAURO que a Vitória Régia levou ao Sambódromo em 1993, é sem dúvida o carro mais alto do Carnaval Amazonense até então. Naquele ano a Verde e Rosa tinha como enredo: "De bumbum virado prá lua", coincidentemente também no Rio de Janeiro, a Grande Rio tinha o mesmo enredo.
Em 1985 a Sem Compromisso gravou o seu CD (Compact Disk) de vinil junto com o então bloco Reino Unido da Liberdade. O samba da Preto e Amarelo - "Folias de Momo" era de autoria de Rinaldo Buzaglo e Celito e do outro lado, o Bloco do Reino Unido com a composição de Bosco Saraiva.
No primeiro Compact Disc da Sem Compromisso em 1983, um lado possuía o samba do ano e do outro lado, JURUPARI- enredo de 1981 quando ainda era um Bloco de enredo.
Indubitavelmente o samba popularmente conhecido como "Levanta a sandália" de autoria de Bosco Saraiva do então Bloco Reino Unido foi um dos maiores sucessos do Carnaval de 1984 junto com o samba da Barelândia, que falava do "sufoco do brasileiro".
A Vitória Régia teve sua sede inicial no quintal do terreno de Tia Lindoca, aonde ensaiava de 1976 até 1987. Em 1988 teve finalmente a sua Quadra inaugurada na própria Praça 14, ao lado da Igreja de Fátima.
A Unidos do Alvorada foi a primeira Escola de Samba a inovar na comissão de frente em 2004 (dia 22 de fevereiro, madrugada de domingo) no Sambódromo, quando fez com que a Sua Comissão de frente saísse de dentro do Carro Abre-Alas.
Em 2001, no desfile do Grupo 1, apenas um jurado (Mrinho Saúba) julgou o desfile das 4 agremiações: Ipixuna, Primos da Ilha, Presidente Vargas e Ciganos). Auferiu a vitória à Primos da Ilha - Fato inédito no carnaval de Manaus.
Em 2002, por causa disso, a Presidente Vargas, desfilou, mas decidiu não concorrer, sob protesto. 3 jurados foram designados para julgar os 9 itens. mais uma vez a Primos da Ilha ganhou o Carnaval, a Ciganos foi vice-campeã.
Postar um comentário