domingo, 12 de janeiro de 2014

DJ DE BUSÃO

Com o avanço da tecnologia e a disseminação dos aparelhos de som portáteis, foi possível ouvir as músicas preferidas caminhando, nas praças, nas praias, passeando de canoa ou no iate, até sentado no vaso sanitário – por outro lado, apesar de termos a disposição do mais simples ao mais possante headphone (fone de ouvido), muitos abusam, não utilizando esse acessório individual e, forçam aos outros passageiros a ouvirem as canções que não querem, pois colocam no volume máximo o som de seus aparelhos – isso ocorre com maior frequência nos ônibus urbanos (busão).


Faz alguns anos, estava na moda os “Micros System”, era potente e pesado, mas, muito neguinho carrega nos ombros e, botava um CD atrás do outro, infernizando os sofridos usuários do transporte coletivo.




Depois, vieram os discretos “Walkman” e “Discman”, com tamanho reduzido, onde a grande maioria dos aparelhos somente era possível ouvir a rádio e músicas de cassete e CD com o fone de ouvido ligado – foi um período de calmaria para os passageiros e motoristas.



Caíram de moda, com o surgimento do MP3, onde era possível baixar centenas de músicas e passar para esse aparelhinho, depois, veio o “IPOD” – tornando uma febre mundial, sendo possível ouvir também com o alto-falante ligado de forma discreta.

Com o advento dos celulares, foi incorporado tudo em um, ou seja, som, áudio e vídeo, além de fazer ligação, é claro! Foi quando voltou em cena o manjado “DJ de Busão”, pois, permitiu ouvir rádio e músicas sem a necessidade do fone.

Para quem utiliza o transporte público, além das filas enormes nos terminais, atrasos nas chegadas dos ônibus, superlotação, ônibus velhos e maquiados e tarifa alta, os usuários tem ainda que ouvir, forçosamente, o funk, o brega, o gospel e outros gêneros musicais, até chegar ao seu destino!

Existem cidades no Brasil em são proibidas por lei a utilização desses equipamentos no modo alto-falantes, obrigando o motorista a mandar o infrator a descer do veículo e, em casa de resistência, chamar a força policial para forçá-lo a desligar o equipamento, além de multas no caso de reincidência – acho que não vingou, pois é de difícil execução! 


Parece que o bom senso está prevalecendo, pois existe um numero cada vez mais reduzido de pessoas que abusam – mas, vez e outra aparecem uns “DJ de Busão”, infernizando a vida dos pobres passageiros! É isso ai.
Postar um comentário