quarta-feira, 30 de maio de 2018

ABANDONO DO PRÉDIO HISTÓRICO DA BIBLIOTECA MUNICIPAL JOÃO BOSCO EVANGELISTA


A nossa Biblioteca Municipal, foi criada pela lei nº 971, de 02 de janeiro de 1967, e sancionada pelo decreto nº 27, de 12 março de 1975 – o prédio onde funcionava, situado na Rua Monsenhor Coutinho, 529, está fechado desde 08 de agosto de 2011 – estando provisoriamente, na Casa do Restauro, no Largo de São Sebastião – deixando aquele prédio histórico totalmente abandonado, sendo saqueado pelos vândalos,  servindo para moradia de desocupados, bandidos e viciados em drogas – motivo de revolta por parte dos estudantes e intelectuais da cidade de Manaus.

JOÃO BOSCO EVANGELISTA (7-3-1938 a 4-8-1973)
O  manauense  João  Bosco  Pantoja Evangelista graduou-se em Administração pela Escola Brasileira de Administração Pública da Fundação Getúlio Vargas, do Rio de Janeiro. Foi técnico da Comissão de Desenvolvimento do Estado do Amazonas – Codeama, professor de Ciências Políticas na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade do Amazonas e professor da Escola de Serviço Público do Estado do Amazonas – Espea. Escritor e poeta, foi um dos fundadores do Clube da Madrugada e presidiu a União Brasileira de Escritores – UBE, seção do Amazonas. Idealizou o jornal literário Nossos Dias, editado em 1956 na capital amazonense, e foi assessor especial do Governo do Amazonas, cargo que exercia na época de seu falecimento.
Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.



História

Devido à falta de documentos oficiais, estima-se que o prédio tenha sido construído por uma família portuguesa, em 1908, durante o período áureo da borracha - o local recebeu ainda um laboratório médico de pesquisas sobre febre amarela, e, da década de 1960 até meados dos anos 1980, abrigou uma sorveteria - após o estabelecimento ser fechado, o local voltou a ser abandonado.




A Prefeitura Municipal de Manaus, através da ManausCult, fez o projeto arquitetônico, com responsabilidade do arquiteto Marcel Reis Gusmão.

Em 2014, a biblioteca foi incluída nas ações de revitalização pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas. Entretanto, segundo a prefeitura, em 2015 e 2016, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) teve problemas para aprovação de projetos e liberação dos recursos, motivo pelo qual a obra ainda não pôde ser realizada. 




Lamento muito pelo descaso por parte do prefeito de Manaus – isso é um crime contra o patrimônio público, além de um grande desrespeito pela história da nossa cidade e, principalmente, pelos estudantes de Manaus e turistas. É isso ai.

Fotos:
1. Alex Pazuello
2. Acervo Roger Péres
3. Projeto Arquitetônico: PMM
4. Parcial (atual): José Rocha

Postar um comentário