quinta-feira, 24 de maio de 2018

DESEMBARGADOR ANSELMO CHíXARO





Jeitão de interiorano,  uma pessoa simples, brincalhão, muito ligado a sua família, adora a companhia dos amigos nos finais de semana e, sempre que possível visita alguns botecos da nossa Manaus antiga – quem o conhece pela primeira vez, jamais imaginará que aquele  senhor de aparência jovem,  é um Desembargador (Juiz de Segundo Grau) do Estado do Amazonas.

Ele é natural do município de Humaitá (distante 696 quilômetros de Manaus), foi batizado como Ernesto Anselmo Queiroz Chíxaro, está com 59 anos, é formado em Direito pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e tem mais de 23 anos de atuação na magistratura amazonense.

Iniciou a carreira nas Comarcas de Lábrea, Tapauá e Itacoatiara. Como juiz, também atuou na Vara Especializada em Crimes de Trânsito, além da 3ª Vara Criminal e Vara de Registros Públicos e Usucapião. Foi titular da 1ª Vara da Fazenda Pública Estadual, fez parte, ainda, da turma recursal do Juizado Especial do TJAM, foi juiz auxiliar da Corregedoria Geral de Justiça (CGJ) e desde 17 de fevereiro do ano passado vinha trabalhando como juiz convocado para atuar como desembargador.

Foi promovido ao cargo de Desembargador, pelo Ato nº 178/2017, de 18.04.17 – ao tomar posse, fez a seguinte declaração:

- Alegre de chegar a esse colegiado, com o apoio dos meus pares que me aclamaram, me sinto imbuído de grande responsabilidade para enaltecer ainda mais este Tribunal. Recebo esta indicação, sobretudo, com um senso muito apurado de responsabilidade. É uma nova missão com a qual temos que nos empenhar muito para oferecer uma prestação jurisdicional cada vez melhor para toda a população -  frisou o novo desembargador. 

O seu colega Jomar Sauders Fernandes, fez o seguinte discurso elogioso à sua trajetória:

- Anselmo atuou nas Comarcas de Lábrea, Tapauá e Itacoatiara, além de deixar firmemente marcado o seu trabalho, mostrou que um juiz não precisa se trancar em suas elucubrações e redomas para se mostrar sério, capaz e coerente, permitindo aos munícipes o acesso incondicional ao Judiciário, sabedor que era do sofrimento e das necessidades daqueles que o demandavam. De igual modo, não perdeu a sensibilidade ao ser promovido para Manaus onde atuou em diversas Varas, sendo admirado por todos aqueles que com ele tiveram a oportunidade do convívio. Ele vem compor um Tribunal que tem superado dificuldades e diferenças. Por ser um órgão colegiado é natural que seus membros tenham diferentes visões sobre as causas que lhes são submetidas, no entanto, essas discussões técnicas é que resultam em decisões coerentes que sempre visam a prática da melhor prestação jurisdicional. Com mais de 23 anos de experiência na magistratura, por certo, Ernesto Anselmo Chíxaro virá engrandecer essas discussões e consequentes decisões. - concluiu o desembargador Jomar Fernandes.

O Estado do Amazonas está recheado de casos de homens públicos e políticos humaitaenses, que migraram e fizeram história na cidade de Manaus. Exemplos: Plínio Ramos Coelho (governador e advogado), Álvaro Botelho Maia (governador, advogado, poeta e escritor), Ubiratan de Lemos (filho do barão da borracha Jovino de Lemos, foi o primeiro a ganhar o Prêmio Esso de Jornalismo), Raimundo Neves de Almeida (historiador, poeta e escritor), dentre outros.

O cantor e compositor Afonso Toscano, no seu CD intitulado “Enredo”, fez uma justa homenagem a esses bravos guerreiros, com a faixa seis “Menino de Humaitá”, incluindo o nosso Anselmo:

Letra da música:

Menino de Humaitá
Hoje de encontro aqui
Depois de tanta luta
Vim, vi e venci  (chegar, ver e vencer)
Sem medo de escuridão
Num rastro de um farol
Aqui com o pé no chão
Querendo chegar ao Sol
Menino de Humaitá
Hoje um homem cidadão
És a Estrela Guia de outros que virão
Cumprir a sua jornada repetindo a lição
Beber da taça de um fel e bater o pé no chão
Almino (Afonso, político)
Anselmo (nosso homenageado),        
Lino (Chíxaro, advogado e presidente da CIGÁS)
e CHICÃO (Procurador de Justiça) 
Tu respondes um sim
Se alguém de forças um não

Tive oportunidade de conversar várias vezes com ele, em suas horas de lazer, sempre se mostrando uma pessoa humilde, mesmo estando na qualidade de Juiz de Direito e, agora, Desembargador.

Certa vez, confidenciou que, em sua cidade natal, Humaitá, ele e seus conterrâneos que ocupam altos cargos no Amazonas, tiveram a rigidez nos estudos, graças aos padres salesianos.

Por ter descendência portuguesa, revelou que, em sua aposentadoria, pretende morar em Portugal, numa aldeia, casa típica com característica herdadas do meio rural – será uma volta ao passado dos seus ascendentes lusitanos.

O Desembargador estadual (Juiz de Segunda Instância), é  um cargo importantíssimo, pois é considerado como “sábio da justiça”, responsável em julgar as decisões de juízes mais novos (primeira instância).

Parabéns Anselmo Chíxaro!  Você merece!

Postar um comentário