domingo, 14 de outubro de 2012

PASSEIO NA MANHÃ DE DOMINGO


Dez da manhã em Manaus, um domingo sem Sol, calmo, tranquilo, muito bom para passear de carro – o meu filho mais velho, o Alexandre Soares, convidou-se para irmos até Iranduba, para lazer e negócios - com a construção da Ponte Rio Negro, este município da Região Metropolitana da Manaus tornou-se um bairro da capital.

Com o feriado prolongado, o acesso estava uma beleza – levamos também a tiracolo, o cunhadinho do Alex, um menino de nove anos, ele estava extasiado ao passar pela Ponte, nunca tinha visto uma paisagem daquelas.

Fomos até a Vila de Paricatuba (Km 21), passeamos pela praia, por sinal, belíssima, estava totalmente lotada de pessoas que vieram de carros, ônibus e barcos, aproveitei e conversei com dois comunitários que conheço faz bastante tempo, o José Luiz e o China.

Fui até a casa do Paulo Mamulengo e da Dona Rô, eles não estavam lá, uma pena – aproveitei para visitar o meu amigo Délio, ele está aposentado e, foi trabalhador (Despachante Aduaneiro) da Moto Ronda da Amazônia - é agora um produtor de couve e pimentão.

Fomos também até as Ruínas de Paricatuba, o moleque ficou encantando, segundo ele, vai fazer um relato desse passeio para a sua professora de História.

Visitamos alguns produtores, no afã de fazer negócios com hortifrutigranjeiros, mas, infelizmente, a grande maioria carece de produção para venda no atacado, pois produzem apenas para o consumo e vendem o excedente para as pessoas que passam de carro pela estrada.

A estrada Manoel Urbano que dá acesso a Iranduba, Manacapurú e Novo Airão está necessitando, urgentemente, de duplicação, parece que o governo do Estado já fez a licitação.

Tínhamos a intenção de ir até a Cachoeira de Paricatuba (lazer), além do Ramal do Caldeirão e Jandira, para conversar com os produtores de várzea, mas, não foi possível.

Pegamos a Rodovia Carlos Braga (acesso a sede de Iranduba) até em frente a “ Iogurte Fazendinha”, falamos com um produtor de laranjas e melancias, o preço não estavam nada doce.

Hora de voltar, paramos na cabeceira da Ponte para tomarmos água de coco e tirar fotografias, o local estava apinhado de gente, a grande maioria se dirigiam para as praias e flutuantes que ficam na margem direita do Rio Negro, pois é a nova opção de lazer para os manauaras. Muito legal, valeu o passeio na manhã de domingo!    
Postar um comentário