segunda-feira, 22 de outubro de 2012

ANTIGAS PADARIAS DE MANAUS

Falou em padaria antiga, vem logo à lembrança os portugueses - esses estabelecimentos da nossa antiga Manaus, sem exceção, eram tocados por lusitanos e seus descendentes - sabemos que o termo vem do latim “pada = panata, de pane, pão pequeno” e “aria = atividade de”, ou seja, local em que se dedicavam a fabricar e vender pães, bolachas e biscoitos.

O periódico “Amazônia Jornal”, um bi mensário de propriedade do Sr. Raimundo Nonato Garcia Filho, tinha como redator o Sr. David J. Israel e, na sua edição de 9 de Fevereiro de 1948, mostra o comercial de todas as padarias que existiam naquela época.

As padarias eram as seguintes:

  1. Fábrica Victoria – de Loyo & Cruz – situada a Avenida Eduardo Ribeira, 490 canto com a Rua Saldanha Marinho – “Neste estabelecimento tem sempre pão de todas as qualidades, biscoitos finos, bolachas e mais artigos próprios desse ramo de negócio, pelos melhores preços do mercado”;
  2. Fábrica Francfort – de Marques Matias & Ca. Ltda. – situada a Avenida Joaquim Nabuco, 732 – “Panificação a Vapor e Biscoitaria/Fábrica de Massas e Torrefação de Café”;
  3. Padaria Amazonense – de Simões & Cia. – situada a Rua Marques de Santa Cruz, 271 – “Com Amassadeira mecânica movida à eletricidade – Panificação e Estivas/Fábrica de massas Alimentícias – Doces de chocolates e seco/Bolachas de Leite, Água e Sal/Café moído e artigos de mercearia”;
  4. Fábrica Brasil – de Simões & Cia. – situada a Rua Barão de São Domingos, 61, - “Panificação e Biscoitaria/Moagem de trigo, arroz e outros cereais pelo sistema europeu/Doces de chocolate/Bolacha Maria e Água e Sal/Rosca comum e a Barão”;
  5. Fábrica Portuense – de Lopes, Santos & Esteves – situada a Avenida Joaquim Nabuco, 424 – “Pão, Bolachas, Biscoitos e Massas Alimentícias”;
  6. Fábrica Aurora – de Pinho Couto & Arteiro – situada a Rua dos Andradas, 62 – “Panificação, Massas Alimentícias e Torração de Café”;
  7. Fábrica Modelo – de J. Barbosa Grosso – situada a Avenida Joaquim Nabuco, 554 e José Paranaguá, 345 – “Mercearia, Padaria e Confeitaria - Estivas por grosso e a retalho, fabricação e depósito de roscas e bolachas para o interior e aviamentos, especialista em pães e massas alimentícias”.
  8. Fábrica Progresso – de Nogueira Irmãos & Cia. Ltda. – situada a Rua da Instalação, 121 – “Fabricação de massas alimentícias extrafinas, biscoitos, torrefação de café e refinação de açúcar, artigos de mercearia, chocolates e bombons finos, importação direta”.
Desde aquela época, já havia uma preocupação muito grande com o custo das matérias-primas, principalmente do trigo, com os panificadores sempre solicitando juntos aos poderes públicos uma majoração no quilo do pão (preço tabelado), apesar da gritaria dos consumidores.

Das citadas, apenas a Padaria Modelo continua operando - os descendentes dos donos da Padaria Amazonense e Fábrica Brasil construíram um império chamado “Grupo Simões”, com vários segmentos, mas, nada voltado para as padarias dos seus ancestrais.

Na minha infância, tive a oportunidade de comprar pães e bolachas nas padarias Francfort e Modelo e, na adolescência, na Pátria e Mimi – atualmente, existem mais de mil padarias em Manaus, eles vendem de tudo, são lanchonetes e, até restaurantes, com uma variedade enorme de pães, mas, todos com produtos químicos prejudiciais a nossa saúde e, nada mais lembra os portugueses e das antigas padarias de Manaus. É isso ai.

Fotografia: J. Martins Rocha - Fábrica Progresso, restou somente a fachada.
Postar um comentário