sábado, 25 de julho de 2015

AS SERINGUEIRAS DE MANAUS


A colheita do látex para a produção de borracha natural, ocorrido maciçamente nos séculos dezenove e vinte, contribuiu para riqueza de poucos, aumento considerável da arrecadação do Estado do Amazonas e do embelezamento da cidade de Manaus (Paris dos Trópicos), porém, na atualidade, ficou no esquecimento pelas autoridades públicas, tanto que são pouquíssimos os pés plantados da Hévea brasiliense (seringueira).
Em 1830, a população de Manaus era de 3 mil habitantes, aumentando para 50 mil após 50 anos de exploração da seringueira, gerando riquezas, proporcionando a construção do Teatro Amazonas, palácios, palacetes e pontes, além de luz elétrica, bondes, calçadas de pedras de Lioz, praças, ruas e avenidas – gerando também o enriquecimento de poucos (seringalistas, comerciantes e banqueiros).
Apesar disso, a Seringueira ficou relegada a segundo plano pelos prefeitos de Manaus, pois não deram o devido valor e respeito ao quanto ela contribuiu para o desenvolvimento da nossa cidade.

Um lugar que deveria ter sido preservado era o “Seringal Mirim” - ficava no início da Avenida Djalma Batista, era uma belíssima praça, onde existiam cento e vinte seringueiras - o local ficou esquecido e, aos poucos, foram fazendo a derrubada das seringueiras, finalmente, o governo do Amazonas, cedeu o local para a antiga Eletronorte, ao qual derrubou as últimas sobreviventes - o local virou uma subestação de energia.
Conheço apenas dois lugares onde poderemos encontrar seringueiras, em Manaus:

Praça da Matriz – existem alguns pés, acredito que foram plantados no inicio do século passado;

Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro (desativado) – ainda é possível encontrar dez árvores, acredito que elas foram plantadas pelo antigo morador, o governador Eduardo Ribeiro.

Quanto um jovem faz um trabalho escolar sobre a nossa história, principalmente sobre o “ouro branco”, deve achar um absurdo não saber onde encontrar o pé de seringueira em nossa cidade, para tirar fotos.


Isso é um absurdo! Uma total falta de respeito com a nossa Seringueira. É isso ai.
Postar um comentário