segunda-feira, 26 de março de 2018

VENDA DA CIGÁS E OUTRAS MARACUTAIAS



O governador atual do Amazonas, deu a toque de caixa, o Banco do Estado do Amazonas, a Companhia de Saneamento do Amazonas e o Porto de Manaus.

O articulador e mentor de tudo isso foi o vice-governador, o judeu Samuca.

Passados anos, os otários eleitores da nossa terra, permitiram a volta desses caras.


O segundo, foi guindado ao posto de presidente do Conselho de Administração da Companhia de Gás do Amazonas, pelo primeiro.

A raposa está dentro do galinheiro! 

Circula nos jornais e nas mídias sociais, notícias de que os dois estão fazendo jogo sujo nos bastidores para vender "a preço de banana" a "Joia da Coroa", a empresa de economia mista CIGAS.

Para quem não sabe, a Petrobras descobriu uma das maiores reservas de petróleo nobre e gás da Amazônia, em Urucu (Coari), instalou até Manaus canos para transportar esse gás. 


A Constituição determina que a distribuição fique a cargo dos Estados.

O então governador Quibe do Azize criou a CIGAS, entregando para os políticos amigos.


Parte das ações foram entregues para uma empresa baiana.

Agora, querem repetir o mesmo golpe de outrora: doar o patrimônio público para "laranjas"!


A Cosama valia R$ 490 milhoes, foi vendida por 202 mi. 

O Estado ainda pagou as dividas de 130 mi. Ficamos apenas com a parte podre!

Negoção! 

A empresa FB&A ( dono Carlos Seabra Suarez, o S da Construtora OAS) entrou na jogada. 


Ela é a mesma que detém a maior parte das ações preferenciais da CIGAS (83%) vendidas pelo Quibe do Azize, aquelas que tem prioridade no recebimento dos dividendos e na restituição do capital no caso de extinção da empresa.

Negoçao!

A briga agora é pela compra dos 17% restante e mandar no gás até acabar!


Fonte: jornal Diário do Amazonas.
Postar um comentário